Subscribe

Terra do Brasil

Dom Pedro II

 

Último Retrato de Dom Pedro IIEspavorida agita-se a criança,
De nocturnos phantasmas com receio,

Mas se abrigo lhe dá materno seio,
Fecha os doridos olhos e descança.

 

Perdida é para mim toda a esperança
De volver ao Brasil; de lá me veio
Um pugillo de terra; e nesta creio,
Brando será meu somno sem tardança...

 

Qual o infante a dormir em peito amigo
Tristes sombras varrendo da memoria,
Oh doce Patria, sonharei contigo!

 

E, entre visões de paz, de luz, de gloria,
Sereno aguardarei no meu jazigo
A justiça de Deus na voz da Historia!

 


O tempo me faltou novamente e não pude elaborar conteúdo original; mas me pareceu oportuno deixar o lindo soneto de nosso Magnânimo Imperador nos tempos de exílio. Exemplo de real paixão pela, e real identificação com, a pátria; coisa que não espero de nenhum ocupante da Presidência da República, por mais patriótico que se declare.

2 comentários:

Celso Anaruma disse...

Um dos poemas mais lindos que li. Acredito que seja mais que uma simples poesia, parece mais uma profecia.

Canal do Conhecimento Mundi disse...

Que linda a página!!!Parabéns pelo o trabalho!!!Sou conservadora,amo e defendo a nossa História.

Postar um comentário

 
© 2010 Todos os direitos reservados. Império Conservado
Theme by BloggerThemes & Chethstudios
Delemon's adaptation from: Design by Metalab